sábado, 25 de fevereiro de 2017

Recife está dentro de mim

Eu acordei na sexta-feira, 24 de fevereiro, sabendo da importância do dia. Eu estava me preparando emocionalmente a meses  para aquele período. Eu estaria tão longe de onde eu gostaria de estar, que fui ajudando meu corpo e meu psicológico a entender que seria apenas por um momento.

Pois bem, sexta feira chegou, tentei fazer minhas atividades normais... Mas chegou momento que ˜bummm˜ e eu já não aguentava mais. O relógio batia 15:30 mas em Recife já estava 20:30.

Peguei o celular, busquei no YouTube Carnaval de Recife ao vivo e encontrei. Que felicidade. Eu estava esperando tanto por esse momento! Emparelhei com a televisão e a abertura carnaval estava passando na minha sala ao vivo!

Mesmo com todos os casacos que cobriam meu corpo, eu estava pulando e suando como louca. Os tambores, a negritude, o Marco Zero de tantas experiências estava tão longe e tão perto ao mesmo tempo. Saíram lágrimas do rosto de emoção, felicidade e muita saudade, claro.

Fiz um café enquanto assistia. Que imagem louca. Recife deveria está com 40 graus naquele lugar e eu com um café, toda coberta e 16 graus. Que loucura.

Infelizmente tive que seguir o dia e as atividades sabendo que em algum momento eu iria voltar para aquela energia. Seriam pelo menos 8 horas de transmissão, e lógico que eu voltaria para aproveitar.

E voltei algumas horas depois com cerveja, o termômetro marcando 8 graus e o coração nas alturas! Felicidade e saudade num mesmo corpo. Recife, eu te amo!

Sábado de carnaval, 25 de fevereiro, eu possivelmente iria para as ladeiras de Olinda, mas a distância de quase 10mil km é realmente dura. E bem, eu ainda tenho um artigo para entregar nas próximas horas...

Frevo n 1.
Ô ô ô saudade
Saudade tão grande
Saudade que eu sinto
Do Clube das Pás, do Vassouras
Passistas traçando tesouras
Nas ruas repletas de lá
Batidas de bombos
São maracatus retardados
Chegando à cidade, cansados,
Com seus estandartes no ar.
Que adianta se o Recife está longe
E a saudade é tão grande
Que eu até me embaraço
Parece que eu vejo
Valfrido Cebola no passo
Haroldo Fatias, Colaço
Recife está perto de mim.

terça-feira, 14 de fevereiro de 2017

sapatão


Oi gente, tudo bem?


Então, outro dia me chamaram de sapatão, imagina só... Eu, a pessoa que se classifica como todas as cores do arco-iris, é chamada de sapatão pois a pessoa achava que ia me ofender.

Podem chamar de sapatão, hétero, bi... Não é ofensa não viu? Podem usar o termo que quiser, não ofende hahahah E sapatao eh um termo que eu ate gosto muito! Acho super adoravel.

*Que um dia a gente seja livre para ser quem quiser e não precise de classificações. E que um dia as pessoas deixem de ficar se metendo na vida dos outros. Amém!